Blog da Rosinha

As palavras me sufocam…

Posted on: 3 agosto, 2017

Não sou muito de falar o que sinto. Sou uma pessoa falante, converso sobre tudo o que quiserem, mas quando é pra falar de mim, eu me calo. Sempre que estou em uma roda de amigos e eles começam a falar deles mesmos, das experiências vividas, dos relacionamentos… eu me calo e fico de observadora na conversa. Quando me pedem alguma opinião, quando me pedem algum conselho, estou ali pronta, mas quando é para falar de mim e de minhas experiências, eu travo (dá a famosa tela azul). O silêncio, em determinadas situações, é a minha arma para fugir de me entregar.

E eu sinto que as palavras não ditas, às vezes, me sufocam. E uma das formas para não morrer sufocada é escrever. Eu gosto de escrever sobre o que sinto, tenho essa facilidade. Às vezes demora pra inspiração vir, mas quando ela vem, é de uma vez: tenho que sair escrevendo pra não me perder em meus pensamentos.

E o mais engraçado é que às vezes eu escrevo para mim mesma: quantas cartas e e-mails de amor, de despedida, de desabafo… eu escrevi e elas nunca chegaram aos seus destinatários. Eu escrevo e mando para mim mesma. A única necessidade que eu tenho, naquele momento, é colocar para fora o que estou sentindo.

Quem me conhece sabe que eu sou ansiosa. E minha ansiedade me joga no buraco. Todas as vezes que tentei expressar o que sentia, eu me perdi. Queria falar tudo ao mesmo tempo e isso acabava afastando as pessoas. Está aí outro fato para eu guardar o que sinto: as pessoas se afastam quando a gente se abre. Não são todas, mas as mais rasas se afastam. E, às vezes, pessoas rasas são legais para conversar sobre assuntos rasos. E elas acabam fazendo falta.

Para finalizar, fica uma citação de A Menina que Roubava Livros: “As palavras não foram ditas, mas decididamente estavam lá, em algum ponto”. Assim sou eu: se fiquei em silêncio, não foi porque não tinha nada o que falar…

Anúncios

2 Respostas to "As palavras me sufocam…"

Olá Rosinha,
Vou chama-la assim e o grau diminutivo do substantivo não é pejorativo. ..É carinhoso. Falar sobre o que sentimos é difícil para a maioria das pessoas, pois as nossas conversas, no convívio social, versam sobre temas triviais.
Só para poucos amigos, para o parceiro e alguns familiares nos sentimos à vontade para falar do que sentimos
.Mas as pessoas rasas são formidáveis no quotidiano. E haja bla-bla.

Fique a vontade para me chamar assim, eu acho carinhoso. 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: